Categorias
ECONOMIA

Contas no azul pela primeira vez em 8 anos

Semana passada, o Ministério da Economia anunciou uma revisão na expectativa para as contas públicas de 2022.

A projeção passou de um rombo de quase R$ 60 bilhões para um saldo positivo de R$ 13,5 bilhões — o que representa uma melhora de R$ 73 bilhões em relação à anterior. Os dois motivos principais para essa mudança são: 1) o aumento da arrecadação de impostos e 2) a contenção de despesas.

Se a expectativa realmente acontecer, esse será o melhor resultado em 8 anos, já que, desde 2014, o Brasil apresenta saldo negativo nas contas públicas.

Looking forward: Por outro lado, em 2023, o governo espera que o país volte a ter déficit por causa do aumento de despesas, como o Auxílio Brasil de R$ 600 e uma atualização na tabela de Imposto de Renda.

Categorias
ECONOMIA

Brasil se destaca e tem a sexta menor taxa de inflação no G20

Segundo levantamento, o Brasil tem a 6ª menor inflação entre as 19 maiores economias do mundo e a União Europeia — o famoso G20.

O resultado leva em conta os índices contados de janeiro a agosto de 2022, nos deixando atrás apenas de 🇰🇷🇮🇩🇯🇵🇸🇦🇨🇳.

A recuperação econômica do Brasil está se destacando dos outros países do grupo. Com um crescimento mais rápido do que era esperado, houve aumentos de produção e na taxa de emprego, impactando na queda da inflação.

Esses fatores se traduzem, ainda, pela queda dos impostos, como o ICMS da gasolina, e o aumento da taxa de juros — dando às pessoas a ideia de que é melhor guardar do que gastar dinheiro.

Bottom-line: O mercado tem ajustado para baixo as expectativas da inflação do ano para o Brasil, enquanto tem subido as expectativas para o nosso PIB.

Categorias
ECONOMIA

Brasil volta ao ranking das 10 maiores economias do mundo

Números positivos! O Brasil teve o sétimo melhor desempenho entre as principais economias do mundo no segundo trimestre de 2022, superando países como os EUA, China e México.

O país ficou atrás da Holanda (+2,6%), Turquia (+2,1%), Arábia Saudita (+1,8%), Israel (+1,6%), Colômbia (+1,5%) e Suécia (+1,4%).

O Produto Interno Bruto (PIB) teve um crescimento de 1,2% no período, contra a expectativa de 0,9% do mercado financeiro. Com o resultado, voltamos a integrar o top 10 das maiores economias mundiais.

O maior crescimento no Brasil foi da indústria, que teve alta de 2,2%. O setor de serviços avançou 1,3% e a agropecuária teve alta de 0,5%.

Falando em PIB… O Ibovespa fechou em leve alta de 0,81% na quinta-feira, aos 110.405 pontos. A performance foi melhor do que os índices americanos.

O empurrão para a alta da vez foram as ações de construtoras. A MRV ganhou 7,59% e Cyrela 6,92%, sendo elas as que dominaram as altas.

No entanto, o dólar subiu 0,71%, negociado R$ 5,237 na compra.

Categorias
ECONOMIA

Más noticias na zona do Euro

Ontem, foram divulgados os dados sobre a inflação na zona do euro, com um novo recorde no acumulado dos últimos 12 meses. Apesar de ser má notícia, já era aguardado pelos especialistas.

Com um aumento de 0,1% em julho, o índice inflacionário subiu para 8,9% ao ano — o maior percentual desde a criação da moeda, em 1999.

Quais foram as causas? O setor da energia foi o que mais contribuiu para a alta, com um aumento de quase 40% nos preços. Depois dele, os maiores vilões foram alimentos, álcool e tabaco.

Bem longe da meta. O Banco Central Europeu estipulou como meta a inflação de 2% ao ano. Por conta disso, foi iniciado um novo ciclo de alta de juros para tentar conter os preços. São os efeitos da guerra na Ucrânia.

Categorias
ECONOMIA

Dias de glória para os engenheiros

Ontem, os dados divulgados pela Confederação Nacional da Indústria apontaram crescimento da atividade e do emprego na área de construção civil em julho.

O índice do nível de atividade registrou 52,2 pontos, representando o ritmo mais elevado do setor desde 2010.

Em relação ao número de empregados, o índice foi de 51,9 pontos, expansão mais elevada da série histórica, que teve início em 2011.

O otimismo é geral: O Índice de Confiança do Empresário avançou — assim como outros índices da economia. Segundo a confederação, o resultado demonstra uma transição de piora, em julho, para melhora em agosto.

Categorias
ECONOMIA

45% dos brasileiros complementam a renda com bicos

Nos últimos 12 meses, 45% dos brasileiros com mais de 16 anos optaram por fazer atividades extras para complementar sua renda.

Os bicos estão nos serviços;

Um terço dos entrevistados complementaram sua renda com serviços de manutenção, beleza, motorista, entregas por aplicativos ou trabalhos domésticos de faxina, babá, aulas particulares e cuidados com idosos e animais.

A pesquisa mostra ainda que a necessidade de realização de bicos é mais frequente em famílias com renda de até um salário mínimo.

Mudando de assunto…

O Ibovespa fechou ontem em alta de 0,47%, aos 113.557 pontos e acompanhou, em parte, a bolsa americana.

O índice também teve aquela ajudinha com o avanço das companhias de proteínas e com a Vale. O recuo da inflação e das commodities é visto como uma possibilidade de alta de juros mais fraca.

Categorias
ECONOMIA

Indícios de crimes com pix aumentam quase 3000%

Não! Não coloquei um zero a mais, é isso mesmo; três mil por cento! O tanto que o Pix traz facilidade para as transações bancárias do dia a dia, também ajuda, na mesma medida, a prática de roubo e extorsão.

O Banco Central registrou uma explosão de indícios de 2.818% em 2022 em comparação com o ano passado. 🤯
Eles têm suas preferências. Nas grandes cidades, vários casos de roubo foram feitos com o celular desbloqueado para facilitar o acesso ao aplicativo do banco. 🤳🏽

No final de 2021, o Banco Central lançou uma série de mudanças no Pix para dificultar a ação de criminosos — como limitar horários de transferências, valores e o rastreio do dinheiro roubado.

No entanto, em sequestros, criminosos costumam usar contas de laranjas para receber o dinheiro e, em seguida, distribuem para outras contas. Segura firme o celular…

Esse sistema já teve 380 milhões de chaves registradas e é usado por 71% da população, segundo o Banco Central em janeiro de 2022.

86% dos pequenos negócios já utilizam o Pix como forma de pagamento.

Em apenas em um dia, foram realizadas 52,4 milhões de transações. O recorde anterior era de 50,3 milhões, registrado em dezembro de 2021, quando foi paga a segunda parcela do décimo terceiro salário dos brasileiros.

Categorias
ECONOMIA

Famílias brasileiras atingem recorde de endividamento

O endividamento e inadimplência em famílias brasileiras bateram recorde em julho. Os números são os maiores desde o início da pesquisa, em 2010.

Segundo o levantamento, 78% das famílias brasileiras estão endividadas, e 29% estão com contas atrasadas.

Tanto as famílias com renda acima de dez salários mínimos quanto as que recebem abaixo viram as dívidas aumentarem no mês passado. Para os mais ricos, a alta foi de 0,8% e para o segundo grupo, de 0,6%.

Falando em pesquisa… O setor de cartões cresceu 37% no segundo trimestre deste ano, com R$ 834,3 bilhões em transações no período. No primeiro semestre, o crescimento foi de 36,5%. Passar no cartão é fácil, difícil é pagar a fatura.

Bora falar da Bolsa, né?

Ele não decepciona. O Ibovespa fechou em alta de 1,46% aos 110.235 pontos, melhor patamar desde o início de junho.

O índice brasileiro foi impulsionado pela inflação americana estável em julho, que diminuiu aversão ao risco em todo o mundo.


O otimismo do mercado, em grande parte, também aconteceu pela divulgação do índice CPI de julho, que mede a inflação americana.

Categorias
ECONOMIA

EUA aprova maior pacote climático da história

Ontem, o Senado americano aprovou um pacote de US$ 430 bilhões para combater as mudanças climáticas, diminuir preços de remédios e aumentar alguns impostos em atividades empresariais.

Chamado de Lei da Redução da Inflação, o projeto será encaminhado à Câmara dos Deputados. Se aprovado, Biden dará sua assinatura.

A relevância: A aprovação do projeto por 51-50, apenas três meses antes das eleições de meio mandato, é considerada uma grande vitória para os democratas, que cumprirão alguns de seus objetivos políticos.

Categorias
ECONOMIA

Desde o Plano Real, nunca se falou tanto de inflação quanto neste ano

Acostumado com as altas taxas do crescimento generalizado dos preços, o Brasil tenta se virar com o que tem — e está conseguindo melhorar.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, o famoso IPCA, que é um dos indicativos da inflação no país, desacelerou para 0,13% em julho, a menor variação mensal em dois anos.

As causas: A melhora dos números aconteceu pela redução nas alíquotas do ICMS nos combustíveis, energia elétrica e comunicações, o que diminuiu um pouco os gastos do consumidor. Você agradeceu quando foi abastecer.

Mas tem produtos mais caros… O grupo de alimentação e bebidas foi o que teve maior aumento nos preços em julho, com destaque para a alta de mais de 22% do leite longa vida. Não está fácil.

E a bolsa já voltou para baixo dos 100 mil pontos… O investidor que se animou na segunda-feira com o maior fechamento da bolsa desde o dia 8 de julho, ficou um pouco menos contente ontem, com o Ibovespa fechando em queda de 0,62%, ficando em 99.946 pontos.

O índice da bolsa brasileira acompanhou os mercados internacionais, que tiveram uma série de recuos. Destaque para as baixas de 1,16% do S&P 500 e de 1,87% da Nasdaq.

What to watch: O Banco Central americano divulgará, hoje, decisão monetária sobre os juros no país, algo que impacta apenas o mundo todo.